domingo, 2 de abril de 2017

Seminário em Defesa dos Direitos das Mulheres movimenta OAB-SG




O Movimento de Mulheres de São Gonçalo em parceria com a Comissão de Combate à Violência contra a mulher da OAB-SG realizou no dia 31 de março, das 13h às 18h, no auditório da OAB-SG, o Seminário “ Em Defesa dos Direitos das Mulheres”. Na mesma  data foi comemorado os 28 anos de criação do Movimento das Mulheres de São Gonçalo e os 11 anos do Neaca- Núcleo Especial de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítimas de Violência Doméstica e Sexual de São Gonçalo.


MESA REPRESENTATIVA DE MULHERES QUE FAZEM DIFERENÇA

Participaram da mesa, Dra Andrea Pereira, vice-presidente da OAB-SG que coordenou a mesa, Dra Elenice Baptista Única, coordenadora de Comissão de Enfrentamento e Combate à Violência contra a Mulher da OAB-SG, Oscarina Souza Siqueira, diretora executiva do Movimento de Mulheres de São Gonçalo, Marta Maria Figueiredo, Secretária Municipal de Políticas Públicas para o Idoso, Mulher e Pessoa com Deficiência de São Gonçalo, Andrea Machado, Subsecretária de Mulheres e Vice-Presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, Dra Débora Rodrigues, delegada titular da Delegacia de Mulheres DEAM-SG e Marisa Chaves , fundadora do Movimento de Mulheres de São Gonçalo que coordenou a mesa de debates.

MARISA CHAVES, COORDENADORA DO DEBATE,NO MOMENTO DE SUA PALESTRA

Na ocasião, Dra Elenice tomou posse como coordenadora da Comissão de Enfrentamento e Combate à Violência contra a Mulher da OAB-SG. Esta comissão vai atender com plantões quinzenais mulheres vítimas de violência doméstica. “ A OAB-São Gonçalo sentiu a necessidade de se criar esta Comissão, porque a OAB-Mulher, da qual eu não sou mais presidente, está voltada para a mulher advogada e esta Comissão vai atender a sociedade civil. Será aberta ao público. Vamos atender às terças-feiras,das 14 ás 16h,mulheres vítimas de violência, dando todo o suporte jurídico, casos mais complexos serão encaminhados à Defensoria Pública.É uma inovação aqui na OAB e já estamos com certeza, fazendo história”, disse Dra Elenice.

DRA ELENICE TOMA POSSE DA COMISSÃO DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER DA OAB-SG


As representantes da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para o Idoso, Mulher e Pessoa com Deficiência de São Gonçalo, a secretária  Marta Maria e a subsecretária Andrea Machado citaram algumas medidas que a Secretaria pretende realizar em relação à Defesa da Mulher no município. “Estamos em busca de uma casa para alugar para reativar o Ceom Patrícia Acioly e, além disso, há várias ações a  serem desenvolvidas este ano através de parcerias. No dia 6 estaremos realizando em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação e Crefcon, a Campanha “ Quem ama abraça fazendo escola” que vai ser realizada nas escolas promovendo a Cultura da Paz e da Não violência.Outra parceria importante é com o Sebrae, estimulando o empreendedorismo para mulheres”, disse a subsecretária Andrea Machado.
AS REPRESENTANTES DA PREFEITURA SECRETÁRIA MARTA MARIA E SUBSECRETÁRIA ANDREA MACHADO





De acordo com a delegada da DEAM-SG, Débora Rodrigues, cabe à polícia ajudar a mulher vítima de violência doméstica a buscar procedimentos legais para sua defesa. “Mas quem vai conversar com essa mulher? Quem vai trabalhar a cabeça dela para sair do ato de violência? Quem vai cuidar desta mulher por dentro? Sem o Movimento de Mulheres não existiria a DEAM”, disse Dra Débora.
A DELEGADA DA DEAM DÉBORA RODRIGUES TAMBÉM PALESTROU



A programação foi encerrada pelo presidente da OAB-SG, Dr. Eliano Enzo que destacou a importância do empoderamento das mulheres. “Esse empoderamento deve começar nas escolas, para que as meninas já comecem a entender o que é empoderamento. Temos que criar nossas filhas como mulheres empoderadas e com autoestima”, disse o presidente que se declarou feminista convicto e destacou a educação dada por sua mãe como responsável por seu posicionamento e fez um pedido às mulheres:“ Mulheres não tenham medo de entrar na política. São Gonçalo carece de mulheres com representação dentro do poder”.
A JORNALISTA RENATA IDALGO, COM MARISA CHAVES E O PRESIDENTE DA OAB-SG ELIANO ENZO


Ao final do Seminário foram entregues moções e homenagens. Entre as homenageadas estavam Dona Estelina, a militante mais antiga do Movimento das Mulheres.

DONA ESTELINA RECEBE SUA HOMENAGEM

Movimento de Mulheres de São Gonçalo: 28 anos de lutas e resistências na defesa da mulher gonçalense.


 Marisa Chaves, fundadora do Movimento de Mulheres de São Gonçalo disse que apesar das lutas e da resistência, nestes 28 anos o Movimento de Mulheres de São Gonçalo não vive um período satisfatório. “O fechamento do Ceom Patrícia Acioly no Jardim Catarina e o abandono da Casa Abrigo pelo governo anterior, são fatos preocupantes. Nestes últimos anos, não vi uma expansão, pelo contrário, tenho visto dificuldade em se manter o que foi deixado. Em 2012, quando estive à frente da Secretaria da Mulher deixei dois Ceoms funcionando,três carros oficiais à disposição da política da Mulher, um orçamento público aprovado e uma casa abrigo construída e com verba para comprar os móveis.Hoje só temos um Ceom funcionando, os carros não estão mais à disposição e a Casa abrigo está inacabada. Eu espero que este governo atual estreite as relações com o Movimento das Mulheres para que possamos reparar o caos deixado pelo governo anterior”, disse Marisa.

Em relação aos 28 anos do Movimento de Mulheres de São Gonçalo, Marisa foi enfática:
_Chegamos de forma íntegra aos 28 anos de existência do Movimento de Mulheres realizando um trabalho humanizado de fortalecimento e empoderamento das mulheres , sem ligações político-partidárias ou religiosas, respeitando os princípios da integralidade da atenção e da lacidade das políticas públicas, podemos avaliar que escolhemos o caminho certo. Os 11 anos de Neaca possibilitam também a esperança de que muito precisa ser feito na prevenção e defesa da criança e do adolescente vítima de Violência Doméstica e Sexual de São Gonçalo”.

OSCARINA MILITA HÁ 30 ANOS EM DEFESA DA MULHER


Para Oscarina Souza, militante há 30 anos em Defesa da Mulher, o Movimento de Mulheres de São Gonçalo é a sua segunda casa. “Muitas lutas nestes 28 anos com entra e sai de governos, mas estamos firmes e chegamos até aqui. A luz, às vezes não está lá no final do túnel não, ela começa a melhorar no meio e estamos caminhando para retomar  algumas políticas públicas que foram deixadas de lado como a volta das caminhadas em defesa da Mulher e a reativação do Ceom Patrícia Acioly”, disse Oscarina.












Nenhum comentário:

Postar um comentário